Verdeamarelo

Jogador quando não tem domínio de bola, pode esquecer. Registro o comentário do torcedor e resolvo escrever sobre a Copa, nada mais óbvio. Fale sobre aquilo que seus leitores querem ouvir. Não sei exatamente quem são “meus leitores”, mas todos diríamos, sem medo de errar, que só se quer falar e ouvir sobre a Copa. Será? Meu problema com o futebol é que não consigo acompanhar a bola.

Mesmo em época de Copa do Mundo, tenho a maior dificuldade de acompanhar o jogo e, principalmente, de enxergar a bola. Ainda mais nas tomadas mais abertas. Até vejo a bola em campo, em um lance ou outro, mas no momento seguinte… aonde é que ela está mesmo? Fico torcendo, sim, mas pelos closes.

Presto atenção em tudo o que não é futebol. Os uniformes dos juízes, por exemplo. São dos mais bonitos e sempre me chamam atenção sem pedir, o que não é o caso da bola. Bola pede atenção o tempo todo e… aonde é que ela está mesmo? Às vezes, nem o Luis Fabiano sabe! É diferente quando a câmera se aproxima e dá pra ver os detalhes, um pouco de tudo. Ultimamente, o que chama a atenção e diferencia é o colorido das chuteiras, até porque penteados e cabeleiras já deram tudo o que falar.

Parece que no Brasiu* de hoje em dia, quem não entende nada de futebol é minoria. Nesta Copa, cheguei a pensar em ficar off-topic mesmo. Acreditei que seria possível, depois que “vi” a Cora Ronai dizer: A Copa ainda nem começou e já não aguento mais ouvir falar de futebol… No Twitter, terreno dos blá-blá-blás encorpados, é engraçado ver os comentários apaixonados, desarvorados, desaforados e desrespeitosos também. Às vezes vem alguém e diz: Olha a foto da minha rua, não tem ninguém! Vem outro, no meio do jogo – da seleção, diga-se – e fala: Olha o centro do Rio, está vazio.

Quem se interessa? Quem é que quer ver o óbvio: que não tem ninguém na rua durante a Copa? Confesso que quando tentei ficar de fora, calculei: é só um mês, faço outra coisa, uso o tempo de melhor forma. Mas já de início, percebi a besteira. Não ia dar, me rendi. Tanto que é o que se vê aqui nesta crônica. Claro, não sou insensível e sou torcedora também. Quando a pátria precisa, lá estou, eu também, calçando as chuteiras.

No último domingo, Amélia ligou: Vem ver a Copa em casa, ah, vem aqui… Vamos. E o que faz Amélia? Acomoda todo mundo na sala, senta-se no sofá, comenta com o marido que é melhor fechar um pouco a cortina por causa da luminosidade na tv, diz pra todo mundo, acalmando o burburinho: Olha lá, está começando!!! Mais alegria do que a dela, só a da Chris, olho grudado na tela, paramentada de verdeamarelo a exibir conhecimentos futebolísticos de quem assiste a debates esportivos aos domingos. Todos de olho na TV. Nada mais óbvio.

A bola rolando, Brasiu* sai no ataque, bola pra lá, bola pra cá, Amélia se levanta. Enfim, o jogo; Amélia saiu? Jogador que não tem domínio de bola… Dez minutos depois, volta ela. Outra vez a bola enganou o jogador, diz o comentarista. O que foi fazer lá dentro, Amélia? Ela desconversa, me fala baixinho: Fui ligar para minha filha, mas ela disse: Mãe, tá na hora do jogo! E Amélia senta-se para assistir de novo, mas – óbvio – se levanta. Vai tocar piano no fundo da sala. Não incomoda a ninguém, o som ambiente é o da Copa – ainda que morna, óbvio.

O tempo passa, a bola rola, diversos pontapés e chutes nas canelas, eu rabisco umas frases. Impedimento claro, diz o locutor. Confesso: não vejo nada. Mas, em Roma, como os romanos, costuma dizer meu marido. Então tá, estou aderindo. Mesmo que eu não entenda lá a língua que eles falam.

* Perdoem “Brasiu”, assim mesmo, em uma grafia mais próxima da nossa pobreza e analfabestismo.

Anúncios

Sobre Marcia Savino

Oi, seja bem vindo/a e passeie por esta literatura de rápida leitura! Indique para os amigos e... volte sempre!
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Verdeamarelo

  1. roberto boetger disse:

    Você é como a seleção brasileira nesta copa, a cada cronica fica melhor e faz mais gols.
    Estou achando que você ainda vai fazer mais duas: uma sobre a seleção do Brasil e outra sobre a final. Se o Brasil estiver na final, pronto: você só faz uma.Promete?

    Curtir

  2. Amelia Maria Velho Pereira dos Santos disse:

    Marcia, muito boa a sua cronica, uma diferente forma de falar da copa. Foi ótimo eu
    ter participado da história . Adorei! Beijos,
    Amelia

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s