A mentira da novela e a novela da mentira

Sei que muita gente não gosta de Passione, a novela das nove, do Sílvio de Abreu. Não é o meu caso. Conheço algumas mulheres órfãs de Manoel Carlos e das suas histórias de costumes. Elas acham que a trama atual tem muita coisa pesada, muita maldade. Era assim que eu via A Favorita, de João Emanuel Carneiro, então, não via sempre. Adoro novela, mas este não é o tema. O tema é a mentira.

Na novela atual, a trama – engenhosa, a meu ver – se baseia na mentira. E, de forma, às vezes, mais, às vezes, menos óbvia, a mentira se firma na capacidade de gerar crença no interlocutor, de se fazer valer, de travestir-se de verdade. De nada adianta uma mentira, se ninguém acredita nela. É uma mentira que não vale nada.

Em Passione, Tony Ramos acredita(va) em cada mentira que Mariana Ximenes inventa. A mentira, com freqüência, a salvou. Muitas vezes sentimos a mão do autor levar a trama ao extremo do conflito para, no dia seguinte, o vilão ser salvo por uma mentira. Ali, todo mundo mente. Até os mocinhos sem sal na história, Rodrigo Lombardi e Carolina Dieckman, passaram a mentir também. Tem os que mentem para si próprios, como aquela atriz/modelo nova: Mayana Moura. E, inclusive, a outra mocinha extremamente sem graça – Larissa Maciel, no caso – até essa tem, também, uma mentira escondida, chamada de segredo. Eu adoro Passione, fique claro. Sou fã do autor e aprecio a trama. Ademais, ele tem um mérito incrível: fez do meu marido um espectador comigo.

Dito isto, volto meu foco para aquilo que não quer calar. Gosto muito da mentira da novela, porque sei que tudo ali é de mentirinha. E os atores são bons ou ótimos. Eles não querem me enganar, querem me seduzir. Às vezes chegam a ter que mentir que não-estão-mentindo-mas-estão e eu, se acredito, fico feliz. O problema é a novela da mentira, que passa antes de Passione. Ela é que atrapalha.

Na novela da mentira, tudo o que ouvimos pode, no máximo, ser chamado de inverdade. Inverdade não é o apelido da mentira. Inverdade é quando a mentira tem tanta vergonha de ser mentira, que não admite – não admite, veja bem – que desconfiem dela. Inverdade é a mentira de dedo em riste.

Enredando o espectador, nos iludem. Mas sabemos, ainda assim, que os personagens da novela da mentira escondem as mãos – mesmo quando as exibem gesticulando com veemência. Eles não fingem que mentem, eles mentem que não fingem. Parece fácil de entender, difícil é acreditar. Não se incomodam, esses personagens, de mentir também para mim, que freqüentei a universidade! Eles sabem que foi mentindo bem e continuamente que chegaram ali. Na condição de mentir sempre um pouco mais e mais alto, atravessam os meus e os seus ouvidos, alcançando a larguíssima base da pirâmide. Pródiga na moeda corrente: o voto obrigatório.

Dito isto, volto meu foco para aquilo que não quer calar. Não gosto nada nada da novela da mentira e sei que tudo ali é de mentirinha. Os personagens da novela da mentira têm os mesmos papéis de sempre e o script se repete a cada par de anos. Quanto aos atores, há os ótimos e os bons, os ruins e os péssimos. Eles não querem apenas seduzir, também querem enganar. Mentem que não estão mentindo e eu, se acredito… não, não acredito. Fico infeliz. Eles mancham também as exceções e até com elas mentem parecer.

Eu tenho vergonha do meu país na tv. Vergonha de ver os postos de saúde esfacelados e os esgotos a céu aberto e de ver os números que eles representam. A novela da mentira passa bem longe de Passione. É na grande base de ignorância que a mentira se fia. Ela é que atrapalha.

Anúncios

Sobre Marcia Savino

Oi, seja bem vindo/a e passeie por esta literatura de rápida leitura! Indique para os amigos e... volte sempre!
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

5 respostas para A mentira da novela e a novela da mentira

  1. roberto boegter disse:

    Marcia, você me surpreende a cada crônica. Desta vez falou a cidadã – mesmo sutil, mesmo delicada, mesmo educada, mesmo suave – mas cidadã.
    Não aliviou, mas ressaltou a vergonha que sentimos dos candidatos e da forma pela qual se apresentam.
    É que você também nasceu jornalista!!!

    Curtir

  2. Gabriel disse:

    Marcinha! lí pela primeira vez hoje o seu blog e adorei. Gostei muito do paralelo entre a novela das 9 e a novela da vida real e entre as “mentiras” que nos cercam.Parabéns pelo texto e pelo blog.Vou passar a vir aqui com mais frequência.
    um beijo do seu afilhado.

    Curtir

  3. Dani Aires disse:

    Coincidentemente estou assistindo a novela da mentira agora. Seria cômico, se não fosse trágico.

    Curtir

  4. Reginaldo Galdeano disse:

    Parabéns Marcia por sua crônica muito bem analisada por sinal! É a primeira vez que visito seu blog e já gostei muito. Gostaria de fazer um desabafo e dizer que sinceramente não gosto muito da tv brasileira justamente por se aproveitar da ignorância da maioria, tornando-os cada vez mais ignorantes, distraindo-os com mais mentiras para que na vida real quem sobrevive de enganar o povo não seja notado e se saia bem. É tanta mentira que quem quer viver honestamente é quem acaba sendo prejudicado. Nas novelas, por exemplo, a mentira passa a ser verdade e quem a pratica, acaba se dando bem. A mentira se torna uma coisa boa ao ver dos autores da trama e tão bem transmitidas pelos atores que os telespectadores, em alguns casos, aderem essa ideia por se identificarem com a situação mostrada na encenação. Agora pergunto: Pra quantos milhões de pessoas as novelas foram escritas? E se tudo é baseado na mentira, no engano, na “lei de Gerson” e por aí afora, até que ponto esta “cultura” está favorecendo a nação como um todo realmente? Porque os programas realmente culturais e educativos só passam altas horas da noite ou quase de madrugada? Coisas que sinceramente eu não entendo! Por favor, acorda Brasil! Obrigado Márcia e se me permitir, voltarei a visitar esse blog novamente outras vezes e que você e os amigos leitores desse blog me perdoem por minha simples forma de escrita. Abraço a todos!

    Curtir

  5. Lourdes Pires disse:

    Marcia,
    Como eu havia dito pra você, aos poucos vou lendo as suas crônicas.
    Não sou amante de novelas, mas acabo no decorrer dos dias ouvir comentários sobre novelas. E me rendo um tiquinho pra saber o que rola nelas. De fato, a gente acaba se envolvendo sem querer querendo nessas páginas da vida. Se são verdadeiras ou não, cremos em algo, pois vivemos rodeados de realidades e do irreal.
    bjs
    Lourdes

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s