Eu quero ser promotor. Posso?

Eu quero ser promotor. A vozinha rouca do garoto branco, baixo e alourado a base de água oxigenada, é firme. Poxa, batemos nessa casa aí na frente e a mulher negou um copo           d´água pra gente. Agora quem me fala é um belo projeto de homem negro, aos 14 anos, com olhos rasgados, sorriso grande e uma falta de perspectiva de vida que incomoda. Poxa, a pessoa mora nessa mansão e eu durmo no chão. E eu que durmo na cozinha, resmunga o pequeno vendedor, uma verdadeira criança. É, sim, lá onde a gente mora não tem nada.

Tarde quente de domingo, marido dormindo, estou começando a retomar o trabalhar nos meus escritos antes de viajar e ouço da rua uma voz forte e alta: Ô de casa, ô dona de casa! Só isso, duas ou três vezes, pausadamente e alto. Penso rápido: Ah, não, hoje não vou comprar desinfetante barato de garoto que bate na minha porta, não. Compro quando eles vêm, mas nem sei se são sempre os mesmos a cada vez. Na vizinhança de classe média há outras casas; faço que não é comigo. Mas a minha campainha toca alto.

Vão acordar meu marido, penso, e corro para a sacada. Oi! O baixinho me estica uma garrafa com uma coisa rosa dentro, narrando o assunto em alta voz. Esse aqui é seis reais, mas como é o último, faço por cinco. Eu gesticulo pedindo que fale baixo. Gesticulo para pedir um tempinho. Gesticulo para dizer que vou buscar o dinheiro. E um deles me pergunta: Você é professora? Eu rio por dentro e gesticulo dizendo que não. É professora de mímica? Hã?!

Desço, rindo, as escadas, e em segundos estou com eles na calçada. O mais alto começa o papo da água que a vizinha negou. Liga não, as pessoas têm problemas, eu digo. Problemas?, ele pergunta. No lugar onde eu moro… Problemas da cabeça, eu digo, às vezes as pessoas têm as coisas, mas… Eu queria morar numa casa dessas aí, casa bonita, rica, diz ele arregalando os olhos de desejo. Você pode, eu afirmo com sinceridade. A risada dele é tão franca, seus dentes tão brancos, seus olhos tão vivos e a distância tão grande, que quase me rouba os argumentos. O menor, guardando o dinheiro, escuta.

Você tem que estudar. Muito. O que é que você gosta de aprender? De um jeito que eu quase não consigo entender, ele aponta o lagarto no meu portão (há uma comunidade deles com quem convivo). Gosto de ciências; eu gosto desses bicho aí; lá em casa a gente matava eles com chumbinho. Ele está na sexta série. Já repetiu ano? Ih… (gargalhada). E você, pequeno? Eu quero ser promotor.

Pergunto ao grandão o que é que o pai faz. Ih… eu não conheço meu pai não, tia. E sua mãe? Minha mãe é zeladora. Vocês entram na internet? Sim. E o que é que vocês veem na internet? Facebook, Google Maps. Então, na escola vocês só precisam passar de ano. É chato, mas é o que tem que fazer. Todo mundo tem que fazer coisa chata, mesmo os ricos, vocês acham que não? Pra aprender vocês podem usar o Google, não é legal saber onde fica a China? Você vai me prometer que não vai mais repetir ano, que vai dar esse presente a sua mãe? Ganho um breve olhar sério. Garoto bonito.

Falo assim, mas não tenho certeza de que eles acreditam nas minhas palavras. Repito muito sobre o estudo, falo do meu filho que saiu de casa aos 15 anos para a Marinha. Ele não mora aí, não?, me pergunta, incrédulo pelo fato do Nick não morar na minha mansão – uma casa boa, mas normal. Repito que a escola pode ser chata, que o importante é aprender, se ele gosta de alguma coisa tem que ser bom nela etc. Olha minha sandália, tia, minha sandália tá velha e a tinta preta cola no meu pé, me diz o pretim. Verdade pura.

Agora é o baixinho branquelo que me fala aos trancos, como quem chuta. Minha mãe não tem dinheiro pra me dar, eu vendo; não tenho vergonha de vender. Tem uma sandália bonita lá, de noventa reais. Eu vou trabalhar e vou comprar. A senhora não tem um quintal aí pra varrer? Desconverso. Pra ser promotor você precisa estudar. Você só precisa estudar. Fazer a faculdade aqui na cidade mesmo, você trabalha pra pagar, tem que ser ótimo aluno e depois fazer concurso. Ele assente calado. Então, está combinado, você vai ser advogado. Advogado? Não, eu quero ser promotor, me diz a vozinha rouca.

Penso na havaiana toda preta, nova e bonita, que não serviu pro Nick e está a procura de um dono. Hum, peraí, eu acho que eu tenho uma sandália… Os quatro olhos crescem. Ofereço ao menino maior, por causa do tamanho. E pra mim, tia, tem não? Não tenho nada pro pequeno. Venho pelo portão com a sandália na mão. Ih, olha lá! Ah, é pequena! Ih, serve pra mim! Enfim, o garoto menor tira o tênis, pede desculpas pela meia “que é assim mesmo”, e enfia, feliz, o pé na sandália. Eu ainda volto lá dentro, mas não encontro outro par de havaianas.

Desço com uma estilosa sandália de dedo pouco usada pelo meu marido, da marca DoCaíque, comprada em São Pedro da Serra e hoje super hiper Trending Topic em Ipanema. Enquanto o pequeno incentiva, o outro recusa achando que é de mulher. Ainda assim, eles vão embora felizes e eu também. Só sei que gostaria de vê-los de novo. Meu tempo pra escrever que era breve, já acabara e eu fiquei sozinha apenas pensando nas metáforas. Zero de escrita. Será que a vida só serve pro baixinho que não tem vergonha de vender? Sei a resposta não.

Anúncios

Sobre Marcia Savino

Oi, seja bem vindo/a e passeie por esta literatura de rápida leitura! Indique para os amigos e... volte sempre!
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Eu quero ser promotor. Posso?

  1. Sylene Savino Rocha disse:

    Oi! Adorei a leitura, fluente e gostosa. È
    mas os problemas sociais estão em todo lugar, e, parece que vão durar por muito tempo. bjs. Sylene

  2. Lisander disse:

    Fala prima! Gostei…infelizmente retrata o longo caminho que nosso país tem a trilhar quando o assunto é educação , principalmente a básica …

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s